Category: automóvel

Audi A3 Sportback 2.0 TDI — Opção acertada

á alguma vez desejou um carro maior que o A3, mas mais pequeno que a carrinha A4? Pois bem, a A3 Sportback
é a solução apresentada pela Audi. Excelente qualidade
de construção, boas prestações e um design atraente
são os principais trunfos deste modelo.

legante e apelativo. Assim se define, em termos estéticos, a variante mais funcional do Audi A3 Sportback, que, todavia, não está bem definido quanto à sua tipologia: não é um hatchback, uma carrinha nem um coupé, mas antes uma bem conseguida fusão destes três conceitos. De facto, quando se avista pela primeira vez este modelo, não se percebe bem que tipo de carro é. Porém, o design deste automóvel não deixa qualquer pessoa indiferente, onde a classe e a agressividades da grelha talvez sejam o ponto forte deste novo conceito apresentado pela Audi.
Relativamente ao interior, não foge muito à excelente qualidade que esta marca sempre nos habituou, não existindo muitas críticas negativas a fazer. Já em termos de equipamento disponibilizado de série, é não mais do que o correcto para um modelo deste segmento e preço, onde se destacam os seis airbags, ABS, ASR, EDS, ESP, suspensão desportiva, dupla regulação do volante, ar condicionado automático bizona, rádio com leitor de CD, fecho centralizado com comando e vidros e retrovisores de controlo eléctrico.

Boas prestações
Há quem afirme que os motores diesel que acompanham os mais recentes Audi são, provavelmente, os melhores do mercado. E este 2.0 TDI da conhecida marca dos cinco anéis vem provar isso mesmo.
Com recuperações extremamente interessantes e com uma excelente posição de condução graças aos múltiplos acertos que se podem fazer no volante e banco do condutor, guiar este Sportback é um verdadeiro prazer. As ultrapassagens são feitas sem muito esforço e sem necessidade de se socorrer a mudanças mais baixas, e se se distrair rapidamente ultrapassará a velocidade permitida por lei. Prova disso são os cerca de 207 km/hora de velocidade máxima, sendo a distância dos 0 aos 100 km/hora percorrida em suaves 9,5 segundos. Relativamente ao consumo combinado apresentado pela marca, 5,5 l/100 km é quanto gasta este modelo testado pela OLÁ! Semanário.
Por tudo isto e muito mais, para todos aqueles que desejem comprar um carro com ar desportivo, comportamento dinâmico bastante bom e um nível de conforto elevado, terá de pagar cerca de 42.500 euros. Um valor que nos parece um pouco elevado, mas é o preço para se ter um dos melhores automóveis desta gama a circularem nas estradas.|

Honda Civic IMA

A arte de Poupar


Com as oscilações e subidas constantes do preço da gasolina
no mercado mundial, a Honda desenvolveu um motor inovador designado por IMA (Integrated Motor Assist),
capaz de transformar a compra de um simples carro
num “investimento” seguro.

Já alguma vez esteve a conduzir o seu carro e desejou que o ponteiro da gasolina não descesse tão depressa? Pois bem, a Honda apresentou no início de 2004 uma excelente opção de um veículo esteticamente atraente, com um habitáculo agradável, e com um incrível consumo de gasolina.
Mas analisando apressadamente o exterior deste médio familiar, não há muito a dizer de um modelo interessante e agressivo q.b., onde se destaca um toque de classe no design. Já o interior, espaço e conforto são os principais atributos, onde é necessário salientar-se os imensos equipamentos de origem que este Civic tem para nos oferecer.

Tecnologia inteligente
Relativamente ao principal motivo de interesse deste carro, o inovador sistema IMA baseia-se num motor eléctrico que auxilia o motor a gasolina. Mas passando a explicar melhor este processo, em condução normal, apenas funciona o motor a gasolina, enquanto o motor eléctrico, se necessário, recarrega as baterias instaladas nos bancos traseiros. Quando se desacelera, o motor eléctrico armazena a energia que de outra forma seria desperdiçada. Mas quando se carrega no pedal do acelerador, o motor eléctrico auxilia o motor a gasolina, proporcionando mais potência e reduzindo o consumo de combustível.
No que diz respeito a esta verdadeira “arte de poupar” por parte deste modelo, refira-se também que quando se imobiliza o automóvel durante um determinado período de tempo, o motor desliga-se automaticamente. Para se reiniciar a marcha novamente basta engrenar a primeira velocidade normalmente, poupando-se assim mais uns mililitros de combustível.
Em relação ao motor 1.4 do Civic testado pela OLÁ! Semanário, debita 90 cavalos e atinge uma velocidade máxima de 177 km/hora, percorrendo a distância dos 0 aos 100 km/hora em 12,8 segundos, com um consumo combinado a rondar uns impressionantes 4,9 l/100 km. Já em termos de preço, cerca de 22.500 euros é quanto terá de despender para “investir” neste Honda Civic IMA.|

Mercedes CLK Cabrio, elegância alemã

Apresentada no Salão de Genebra, a segunda geração do CLK Cabrio estará à venda a partir do próximo mês de Maio

Os amantes da Mercedes têm bons motivos para sorrir. Apresentado no último Salão de Genebra, o novo CLK Cabrio estará à venda no nosso país a partir do próximo mês de Maio. Com dimensões ligeiramente superiores ao seu antecessor, o novos descapotável da marca apresentar-se-á com equipamentos ainda mais completos, e com uma gama de motores para todos os gostos.

A capota continua a ser de lona, contudo a insonorizarão promete ser quase perfeita, graças à grossura das novas capas. A abertura será feita em pouco mais de 20 segundos, e tal como no seu sucessor, a capota ficará completamente escondida no interior da carroçaria.

VW Golf Variant Bi FUEL

Ecológico e funcional, o Golf Variant Bi FUEL é a proposta da Volkswagen para uma condução económica e eficiente. Utilizando a mais moderna tecnologia, esta proposta torna mais rentável a utilização no dia-a-dia, aumentando a autonomia sem prejuízo dos consumos.

O Golf Variant Bi FUEL conta com um motor polivalente, capaz de funcionar com recurso a dois tipos de combustível – gasolina ou gás natural – que partilham os mesmos sistemas gestão e alimentação.

Embora pouco divulgadas no mercado, as vantagens da utilização de dois tipos de combustível são várias.

Por exemplo, quando a quantidade de gás existente no depósito atinge níveis baixos, o motor comuta automaticamente para a alimentação a gasolina, o que resulta num incremento da autonomia até mais 680 km.

Naturalmente, o condutor não necessita de efectuar qualquer operação para a mudança de combustível, podendo-o fazer em qualquer momento recorrendo a um simples botão.

O sistema de dois combustíveis assenta num motor de 2,0 litros que, na “versão” a gasolina desenvolve uma potência máxima de 115 cv e um binário máximo de 172 Nm às 3200 rpm. Na opção de funcionamento a gás natural, este mesmo motor apresenta uma potência máxima de 102 cv e um binário máximo de 151 Nm às 3500 rpm.

Teste: Renault Vel Satis 3.0 V6

Um carro capaz de despertar amor e ódio, mas que ninguém resiste a olhar. O Semanário guiou o Renault Vel Satis 3.0 V6 e a impressão final não poderia ser melhor.

Ou se gosta ou se odeia. Uma expressão utilizada muitas vezes em vão, mas que neste caso assenta, no verdadeiro sentido da palavra, que nem uma luva. Estamos a falar, obviamente, do Renault Vel Satis, uma das mais recentes apostas da marca francesa para conquistar o sector dos veículos de luxo.

Um carro de linhas bem diferentes daquelas que estávamos habituados a ver, e que tem ao longo destes meses de existência tem conquistado muitos admiradores e também alguns detractores.
Por isso mesmo e como se costuma dizer gostos não se discutem, aceitam-se passemos ao interior de Vel Satis.

E depois de entrar não é preciso esperar muito tempo para se perceber que, também neste caso, o Vel Satis, tem pouco ou nada a ver com os restantes. O espaço, o luxo, e o conforto são sem dúvida nenhuma três predicados que o Vel Satis consegue conjugar quase como nenhum outro. Tudo foi pensado ao pormenor. Desde a qualidade dos bancos ao eficaz sistema de navegação GPS, com recepção das informações do tráfego, e manobras automatizadas tão simples em outros carros como os limpa-vidros, ou o sistema de iluminação. Detalhes que fazem deste modelo, um carro que apetece conduzir. E por falar nisso quem optar por comprar o Vel Satis poderá contar ainda com um leitor de DVD e ecrã de cristais líquidos de 16/9, nos lugares traseiros.

Prestações condizentes

No que diz respeito à motorização o modelo experimentado vem equipado com um motor diesel 3.0 dCi, de 180 cv. Com um caixa automática de cinco velocidades as prestações anunciadas pela marca superam as expectativas tendo em conta alguns aspectos como o peso do carro, a rondar as duas toneladas. Mesmo assim a velocidade máxima anunciada é de 210 km/h e 10,5 segundos é o tempo dispendido pelo Vel Satis para atingir os 100 km/h.

Resta dizer que quem optar por comprar o Renualt Vel Satis 3.0 V6 terá que despender de 61. 610 euros (cerca de 13 mil contos). Uma verba, em tempo de crise, ao alcance de poucas bolsas, mas sem dúvida uma boa opção para quem está a pensar, mesmo assim, comprar um carro de luxo.