2019/09/21

O tudo ou nadapor Pedro Martins

Numa altura em que já faltam quatro vitórias para o F.C.Porto se sagrar virtualmente campeão nacional e em que a questão do segundo lugar aparentemente também está resolvida, o interesse da Superliga nas últimas sete jornadas vai centrar-se, tudo indica, na fuga à despromoção.

E aqui a competitividade não podia ser maior. Do último classificado para o grupo dos oitavos, há apenas oito pontos de diferença. Mais, equipas como o Sporting de Braga, Boavista, Paços de Ferreira ou Moreirense nesta altura a meio da tabela classificativa, estão a duas derrotas apenas da “linha de água”. À excepção do Vitória de Setúbal, que com a derrota caseira no fim-de-semana passado dificilmente vai conseguir evitar a Segunda liga (cá está um caso em que a chicotada psicológica não surtiu efeitos), ninguém se vai poder distrair até ao final do campeonato. Principalmente Académica e Beira Mar, nesta altura na zona de descida mas que na última jornada até conseguiram resultados positivos. Uma luta pois que promete!
De mal a pior vai o Sporting. Os campeões nacionais voltaram a perder, agora em Barcelos (embora com um golo irregular), e ficaram a sete pontos do rival Benfica, que está cada vez mais perto de regressar à Europa do Futebol, via pré-eliminatória da Liga dos Campeões. Os encarnados, graças a uma nova grande penalidade de Simão Sabrosa, despediram-se da Luz com uma vitória. Num dia de festa, cerca de 100 mil adeptos do clube da águia disseram adeus a um estádio que não chegou a completar meio século de existência.
Ainda em relação ao Sporting, uma nota para as declarações de Sá Pinto esta semana. Na sala de imprensa, o internacional português sem papas na língua, mostrou-se chocado por não ser convocado e lamentou ainda a falta de orientação por parte de Laszo Boloni. Afinal a confirmação daquilo que já se sabia há muito, o silêncio permanente entre o treinador e o restante grupo de trabalho. Numa época para esquecer em Alvalade, uma nota negativa também para o facto dos jogadores terem quebrado apenas em parte o black-out imposto em Dezembro. Uma situação que pelos vistos nem a própria SAD consegue pôr cobro. Será que recusar entrevistas em jornais ou televisões não prejudica antes de mais os próprios jogadores?
Recebido aparentemente de braços abertos na selecção nacional foi Deco. Como já se esperava o agora jogador luso-brasileiro foi convocado por Luis Felipe Scolari para o particular de Sábado à noite nas Antas com o Brasil. Quis assim o destino que Deco vestisse a camisola de Portugal pela primeira vez no estádio do seu actual clube e logo frente à selecção do País que o viu nascer. Pouco interessado nestas coincidências está naturalmente Scolari, desejoso não só de vencer a equipa que ele próprio ajudou a ser campeã mundial mas acima de tudo em ter os melhores ao seu dispor no Euro 2004. O seleccionador nacional está ainda numa fase de observação e como tal voltou a chamar jogadores como Luis Loureiro, Silas, Rogério Matias ou Maniche.
Para último deixei intencionalmente o maior feito do futebol português nos últimos anos: a qualificação inédita de F.C.Porto e Boavista para as meias finais da Taça UEFA. As duas equipas da cidade invicta estão entre as doze melhores da Europa esta época (contando naturalmente também com as equipas apuradas para os quartos de final da liga dos campeões). Só a Itália com quatro e a Espanha com três clubes estão melhores que o nosso País. Resta agora esperar por uma final da Taça UEFA em Sevilha exclusivamente portuguesa e depois fazer votos que esta não volte a ser uma época sem exemplo na Europa do Futebol.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.