2019/12/06

O TGV favorece mais Espanha do que Portugal?

Manuela Ferreira Leite defendeu que o projecto do TGV em Portugal é importante para que Espanha tenha mais fundos estruturais, por ser um projecto transfronteiriço. Ferreira Leite manifestou-se contra o envolvimento espanhol na discussão deste tema em Portugal e reafirmou que, se for primeira-ministra, suspende o projecto.

Manuela Ferreira Leite defendeu que o projecto do TGV em Portugal é importante para que Espanha tenha mais fundos estruturais, por ser um projecto transfronteiriço. Ferreira Leite manifestou-se contra o envolvimento espanhol na discussão deste tema em Portugal e reafirmou que, se for primeira-ministra, suspende o projecto. Ferreira Leite disse ainda, no debate de sábado com o primeiro-ministro, que não tencionava resolver os problemas de Portugal em função dos interesses dos espanhóis. A pergunta do SEMANÁRIO desta semana é: O projecto do TGV favorece mais a Espanha do que Portugal?
Inês de Sousa

António Costa Pinto
“Não tem qualquer sentido”
” Não, isso não tem qualquer sentido. Um projecto destes é negociado com base em múltiplos interesses dos países europeus. Cada um é livre de fazer a sua opção.”

Miguel Beleza
“Não favorece nem desfavorece nenhum dos países”
“Não estou seguro que favoreça ou desfavoreça particularmente qualquer dos países. Penso que não é uma boa opção para Portugal. Não favorece Portugal e favorece Espanha? Não me parece que faça uma grande diferença.”

Rui Ramos
“Espanha está mais à vontade para receber o TGV”
“Não é uma opinião fácil. Não conheço estudos técnicos que apontem num sentido ou noutro. Em termos de impressões, uma via que corre em dois sentidos, em princípio, favorece o lado que for capaz de melhor a utilizar, de lhe dar mais uso, de aproveitar melhor os objectivos que tem. Creio que ninguém pode dizer que favorece mais este ou aquele país. Tudo depende do que os países e do que os cidadãos fizerem daquela linha e da maneira como a usarem. Imagine-se que são sobretudo os espanhóis a usarem a linha, se for para vir a Lisboa e gastarem dinheiro em Lisboa, a almoçar ou a fazerem compras, aí ganhávamos nós. Temos que esperar para ver.
Agora, em termos de captar os subsídios europeus para este género de empreendimentos internacionais, ambos os países têm a ganhar e a perder com isso, dependendo da situação em que estão. Neste momento, devido à situação financeira de cada país, os espanhóis estão mais à vontade para se lançarem ao empreendimento do que os portugueses. Esse é que é o grande facto. Espanha graças aos esforços financeiros que fez no final da década de 90, está um país mais à vontade do que nós estamos. Portugal está muito endividado e prejudica o país. A questão aqui não é o TGV, é a divida externa.”

Hugo Velosa
“Beneficia mais Espanha do que Portugal”
“Segundo tudo o que se tem dito, há muitas questões que se devem levantar em relação ao TGV. É por isso que um dia possa fazer todo o sentido haver um TGV ou uma linha de alta velocidade que ligue a Europa, Espanha e Portugal. Neste momento beneficia mais a Espanha do que Portugal, até pelas razões que têm sido invocadas para não avançar de imediato com este tipo de projecto ou outro semelhante, porque a única solução não é o sistema TGV. Quando houver condições financeiras e Portugal estiver noutra circunstância, o nosso país também poderá ser beneficiado mas, neste momento, beneficia mais a Espanha do que Portugal.”

Feliciano Barreiros Duarte
“Beneficia Espanha e Portugal”
” O TGV beneficia não só Portugal mas também Espanha como mais um instrumento de promoção de desenvolvimento económico e social. A ser construído irá permitir que o nosso País tire proveito da sua existência.”

Vítor Ramalho
“Favorece Portugal”
“O TGV é um instrumento de mobilidade de transportes europeu e, portanto, nesse sentido favorece todos os países por onde passa e muito mais o nosso País. Portugal é o país ocidental do continente europeu mais próximo das Américas, a relação externa de Portugal com o mundo atlântico é feito pelo mar. Tudo aquilo que seja acelerar a mobilidade do nosso país a partir de Lisboa para a Europa, favorece a transacções comerciais, a mobilidade de pessoas e, isso é um aspecto positivo. Portugal é Europa e não pode estar fora do quadro europeu. Além disso, tem uma especificidade geográfica que mais justifica essa aproximação da Europa que se faz através do mecanismo TGV, assim como se faz através dos aeroportos ou das vias de comunicação rodoviárias.”

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.