Benfica define próxima temporada

Miccoli, Derlei e Katsouranis. Estes são os principais jogadores que deverão abandonar o clube da Luz no final da presente época, assim como o treinador Fernando Santos, que deixou de ter o apoio da massa associativa e de alguns elementos da SAD benfiquista. Para a próxima temporada deverão estar disponíveis aproximadamente 20 milhões de euros destinados ao futebol encarnado que, entretanto, será cotado em bolsa.

O Benfica já está a definir a época 2007/2008, que poderá passar por profundas alterações no departamento de futebol. E as mudanças poderão estar relacionadas com o treinador dos encarnados e alguns jogadores do plantel. No que diz respeito a Fernando Santos, apesar de ter contrato até final da próxima temporada, o facto do Benfica ter sido eliminado prematuramente na Taça de Portugal, ter sido afastado da Liga dos Campeões na fase de grupos e posteriormente da Taça UEFA, e ter perdido na passada jornada o segundo lugar para o Sporting, poderá ditar o afastamento do técnico. E nem a recuperação do segundo posto poderá garantir ao técnico encarnado a manutenção do cargo. Por outro lado, Luís Filipe Vieira, presidente encarnado, sempre evitou adoptar as “chicotadas psicológicas”; todavia, a situação de Fernando Santos começa a ser insustentável e, actualmente, não reúne o apoio da massa associativa e de alguns elementos da direcção do clube da Luz. Seja como for, e caso se confirme o afastamento do único treinador português que orientou os três grandes nacionais, Camacho e Sven-Goran Eriksson voltam a surgir no topo de preferências dos adeptos para orientar o Benfica 2007/2008.

Transferências e permanências

O plantel encarnado já começa a ser preparado para a temporada 2007/2008 e estão previstas algumas alterações, como a saída de Derlei e Miccoli. Relativamente ao brasileiro, foi emprestado pelo Dínamo de Moscovo na reabertura do mercado de transferências e, apesar do clube russo estar disponível para vender o avançado, este não convenceu os dirigentes encarnados, tendo rubricado algumas exibições bastante aquém daquilo que produzira quando ainda alinhava no FC Porto. Já o italiano também irá abandonar o clube da Luz, uma vez que pretende regressar a Itália. No que diz respeito a Luisão, refira-se que o defesa poderá ser transferido para um colosso europeu, uma vez que o central canarinho é dos jogadores benfiquistas com mais mercado e já por diversas ocasiões manifestou o seu desejo de rumar para um campeonato mais competitivo. Em relação a Simão Sabrosa, apesar do enorme interesse de alguns dos principais clubes europeus, como o Liverpool, o Benfica já fez saber que o capitão das águias é intransferível e decidiu renovar recentemente com o avançado que tem contrato com o clube da Luz até 2012. Finalmente, de salientar ainda que Léo ainda não renovou contrato com o conjunto lisboeta e Katsouranis tem despertado o interesse do Atlético de Madrid que poderá avançar com uma proposta de aquisição no final da presente época.
Em termos de possíveis contratações ainda não existem nomes conhecidos, mas a SAD encarnada já determinou que pretende contratar assim que possível um avançado goleador de renome internacional, assim como um defesa direito capaz de lutar pelo lugar com Nelson. A título de curiosidade, de mencionar ainda que Domingos Soares Oliveira, administrador da SAD das águias, já garantiu que o Benfica terá uma verba a rondar os 20 milhões de euros destinados ao futebol e que a formação lisboeta não está dependente da venda de jogadores para o equilíbrio financeiro.

Benfica SAD cotada em bolsa

A Benfica SAD estará cotada em Bolsa a partir de 21 de Maio. A informação foi adiantada através do comunicado do conselho de administração (CA) do Benfica que acrescentou ainda que o clube da águia obteve um lucro de 4,137 milhões de euros no primeiro semestre de exercício, até Janeiro último. A Sport Lisboa e Benfica, Futebol SAD revelou a decisão e os números na sessão especial de Bolsa para apresentação dos resultados do Empréstimo Obrigacionista, que, recorde-se, realizou-se esta semana na Euronext Lisboa, adiantando que, além do encaixe previsto de 20 milhões de euros, a procura duplicou a oferta. De acordo com o comunicado à CMVM, o CA considerou “expectável a cotação das acções da sociedade o mais breve possível após as devidas aprovações pela CMVM e pela Euronext”, revelando o próximo dia 21 de Maio como a data mais provável para a operação. Refira-se também que a admissão à cotação das acções do Benfica está dependente da alteração dos estatutos do emblema presidido por Luís Filipe Vieira, a qual será discutida na assembleia-geral de 14 de Maio: “Será proposta a alteração de estatutos da sociedade, a alteração da representação, para escritural, das acções que actualmente detêm a forma titulada”, pode-se ler no comunicado enviado à CMVM. Relativamente ao encaixe financeiro resultante da presença encarnada na Taça UEFA, Domingos Soares Oliveira estimou que o saldo se cifre “entre os 15 e os 16 milhões de euros”, representando “resultado positivo adicional” muito acima do previsto. “Somos muito conservadores na vertente financeira. Não digo que o orçamentado fosse metade dessa verba, mas está significativamente abaixo. Portanto, foi largamente ultrapassado”, explica o administrador executivo da SAD.

Veiga com medidas de coacção reduzidas

José Veiga foi ilibado da suspeita de abuso de confiança no “caso João Pinto”, mas manteve-se a suspeita do crime de burla. A decisão foi conhecida esta semana após o juiz encarregue do processo ter reconhecido que o ex-dirigente encarnado não se apropriou dos 3,2 milhões de euros pagos pelo Sporting à empresa Goodstone. O depoimento de João Pinto, proferido a 3 de Janeiro na PJ, foi determinante para a resolução da situação do ex-dirigente encarnado, uma vez que o actual jogador do Sp. Braga admitiu a recepção da verba paga pelo Sporting. As declarações de Ribeiro Telles e Luís Duque também foram preponderantes, pois confirmaram o pagamento do clube leonino. Desta forma, o magistrado responsável pelo processo deu como provado que nunca houve um contrato de agenciamento entre João Pinto e José Veiga. Entretanto, o recurso do advogado de Veiga resultou na redução de algumas das medidas de coacção aplicadas anteriormente, como, por exemplo, os 500 mil euros de caução que foram reduzidos para 210 mil, tendo o ex-agente FIFA recebido o seu passaporte de volta. Todavia, o processo não foi arquivado e José Veiga ainda não está totalmente ilibado do caso, pois, de acordo com o juiz, tentou convencer os dirigentes do Sporting de que a empresa Goodstone era possuidora do passe do jogador.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.